Controlo das lagartas da maçã do algodoeiro (cotton bollworms) com a utilização de formigas predadoras, Uganda

Sumário

O insetos são o principal constrangimento da produção agrícola no Uganda. A Helicoverpa armigera (bollworm americana), Earias vittella (lagarta da maçã) e Pectinophora gossypiella (lagarta rosada) estão entre os dez insetos que se alimentam e danificam os botões florais, flores, maçãs jovens e maduras do algodoeiro, provocando o aborto de até 87% dos frutos e na consequente redução da produtividade e rendimento do agricultor. Esta tecnologia da NARO (National Agricultural Research Organisation - Uganda) descreve o uso de formigas predadoras como meio de controlo biológico das lagartas da maçã do algodoeiro.

Descrição

Antes da descoberta das formigas, os agricultores costumavam pulverizar as culturas com produtos químicos para eliminar as lagartas da maçã do algodoeiro. No entanto, estes químicos também afetam o que está na vizinhança. É por esta razão que a investigação propôs o uso das formigas negras, uma alternativa mais segura e ecológica para controlar as lagartas da maçã do algodoeiro. Esta prática é amplamente utilizada no Este, Oeste, Centro e Norte do Uganda.

Vantagens

As formigas predadoras têm as seguintes vantagens sobre os produtos químicos de uso agrícola:

  1. Redução do risco ambiental;
  2. Eliminação da contaminação dos alimentos;
  3. Venda e / ou consumo de produtos agrícolas livres de pesticidas;
  4. Venda de produtos agrícolas a preços premium;
  5. As formigas predadoras são fáceis de atrair e de manter em cativeiro pelos agricultores;
  6. Os grupos de agricultores podem ser convenientemente capacitados para o uso de novas tecnologias à medida que são desenvolvidas;
  7. Os agricultores não gastam dinheiro na compra aplicadores químicos e, portanto, economizam no tempo e mão-de-obra;
  8. Os agricultores maximizam os seus lucros líquidos com a aplicação de preços premium.

Desafios

Requisitos a ter presente para uma implementação bem-sucedida:

  1. Uma organização baseada na comunidade precisa de estar de acordo com as boas práticas de gestão ambiental;
  2. É necessário guardar as refeições com açúcar, mel, peixe e carne em recipientes fechados, para evitar que as formigas se alimentem delas.

Método de utilização de formigas predadoras

  1. Culturas atrativas, como o feijão, amendoim e o feijão-fradinho, que são plantas hospedeiras de afídios (pulgões), podem ser consociadas com o algodão, atraindo rapidamente as formigas predadoras;
  2. Transferência de formigas de um local, onde já existam, para outro, onde são necessárias. A colónia de formigas deve incluir machos, fêmeas e operárias;
  3. Manutenção do espaço envolvente, por forma a serem criadas condições ambientais favoráveis, como locais de reprodução e esconderijos, para um bom estabelecimento, colonização e subsequente propagação;
  4. Captura de um grande número de formigas para posterior liberação em plantação de algodão fortemente infestadas com a lagarta, para uma rápida eliminação da infestação.

Para uma gestão bem-sucedido de lagartas da maçã, EVITE:

  1.  O uso de produtos químicos perto ou onde as formigas estão presentes;
  2. A destruição de toda a vegetação da área e envolvente, queimando ou cortando as árvores para não destruir os locais de reprodução e esconderijos.

Conclusões

O uso de formigas predadoras para eliminar biologicamente as populações de lagartas da maçã do algodoeiro, potencia o lucro dos agricultores. Para além disso, é ambientalmente amigável e isento de riscos para saúde dos humanos e outros organismos não-alvo.

No entanto, o uso bem-sucedido de formigas predadoras depende da total colaboração da comunidade em questão.

This technology has been translated by Mr. Adriano Silva from Instituto Superior de Agronomia, University of Lisbon, Lisbon, Portugal.

 

 
 

Validação da prática

This technology contributes to the SDGs:

SDG

Categoria

Países

Uganda

Data de criação

seg, 05/02/2018 - 10:43

Ficheiros anexos

AnexoTamanho
PDF icon Brochure Cotton1.pdf195.36 KB